Páginas

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

PARA AMAR UM POUCO MENOS



Antes eu acreditava que conhecia todos os sentimentos, e sabia, de fé e verdade, que amar era um conceito tão falso quanto uma nota de três reais. Não sei se ainda hoje consigo explicar, mas talvez passar doze horas ou mais com uma pessoa, e nos próximos dez minutos após uma despedida, sentir sua falta de uma maneira absurdamente sufocante, agoniante, com um desespero que cresce dentro de você a cada hora... enfim, talvez isso seja...!

Quando alguém lhe faz ver o mundo de outra forma, lhe faz confiar nas pessoas, confiar em Deus e no melhor que você possa ser, o que seria?

O que fazer quando o amor é tão grande que não cabe dentro de si?

O que fazer, por fim, para amar-lhe um pouco menos?!

O que fazer para falar em você sem me referir ao amor, esse sentimento conceituado e pateticamente disseminado entre esquinas, o qual eu não queria, mas que não escolho, e amo, simplesmente!

Um comentário:

  1. meu Deus como me identifiquei com esse texto!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir